09
Dez 08

Relatório Individual

 

 

publicado por cinemap às 10:43

12
Nov 08

Filmes da Década de 50

1. O Sétimo Selo [Ingmar Bergman, 1957]

 

 

 

2. Crepúsculo dos Deuses [Billy Wilder, 1950]

 

 

 

 

3. A Ponte do Rio Kwai [David Lean, 1957]

 

 

 

4. Um Corpo que Cai [Alfred Hitchcock, 1958]

 

 

 

5. Os Sete Samurais [Akira Kurosawa, 1954]

 

 

6. Luzes da Ribalta [Charles Chaplin, 1952]

 

 

 

7. Os Incompreendidos [François Truffaut, 1959]

 

 

 

8. Cantando na Chuva [Stanley Donen & Gene Kelly, 1952]

 

 

 

9. 12 Homens e uma Sentença [Sidney Lumet, 1957]

 

 

 

10. Morangos Silvestres [Ingmar Bergman, 1957]

 

 

 

publicado por cinemap às 10:51

Os Melhores da Década de 60 - Fórum CeC

 

1º - 2001 - Uma Odisséia no Espaço / Dir: Stankey Kubrick - 163 pontos

 

2º - Era Uma Vez no Oeste / Dir: Sergio Leone (ano: 1969) – 141 pontos

 

3º - Psicose / Dir: Alfred Hithcock (ano: 1960) – 92 pontos

 

4º - Três Homens em Conflito / Dir: Sergio Leone (ano: 1966) – 84 pontos

 

5º - Doutor Fantástico / Dir: Stanley Kubrick (ano: 1964) – 69 pontos

 

6º - Lawrence da Arábia / Dir: Devid Lean (ano: 1962) – 58 pontos

 

7º - Os Pássaros / Dir: Alfred Hithcock (ano: 1963) – 53 pontos

 

8º - O Bebê de Rosemary / Dir: Roman Polanski (ano: 1968) 53 pontos

 

9º - O Anjo Exterminador / Dir: Luis Buñuel (ano: 1962) – 45 pontos

 

10º - A Primeira Noite de Um Homem / Dir: Mike Nichols (ano: 1967) – 39 pontos

publicado por cinemap às 10:51

 

Os Melhores da Década de 70

 

1º - Laranja MecânicaA Clockwork Orange / Dir: Stanley Kubrick – 1971

 

2º - Taxi DriverIdem / Dir: Martin Scorsese – 1976

 

3º - O Poderoso ChefãoThe Godfather / Dir: Francis Ford Coppola – 1972

 

4º - O Poderoso Chefão 2The Godfather: Part II / Dir: Francis Ford Coppola – 1974

 

5º - Apocalypse NowIdem / Dir: Francis Ford Coppola – 1979

 

6º - Um Estranho no NinhoOne Flew Over the Cuckoo's Nest / Dir: Milos Forman - 1975

 

7º - Barry LyndonIdem / Dir: Stanley Kubrick – 1975

 

8º - StalkerIdem / Dir: Andrei Tarkovski - 1979

 

9º - Alien: O Oitavo PassageiroAlien / Dir: Ridley Scott - 1979

 

10º - Noivo Neurótico, Noiva NervosaAnnie Hall / Dir: Woody Allen - 1977

 

 

publicado por cinemap às 10:51

 

Os Melhores da Década de 80

 

1º - DE VOLTA PARA O FUTURO / DIR: ROBERT ZEMECKIS  (ANO: 1985) - 129

Pontos

 

2º - AMADEUS / DIR: MILOS FORMAN (ANO: 1984) - 108 Pontos

 

3º - E.T. / DIR: STEVEN SPIELBERG (ANO:1982) - 90 Pontos

 

4º - O ILUMINADO / DIR: STANLEY KUBRICK (ANO: 1980) - 88 Pontos

 

5º - CURTINDO A VIDA ADOIDADO / DIR: JOHN HUGHES (ANO: 1986) - 82 Pontos

 

6º - TOURO INDOMÁVEL / DIR: MARTIN SCORSESE (ANO: 1980) - 82 Pontos

 

7º - ERA UMA VEZ NA AMÉRICA / DIR: SERGIO LEONE (ANO: 1984) - 80 Pontos

 

8º - OS CAÇADORES DA ARCA PERDIDA / DIR: STEVEN SPIELBERG (ANO: 1981) - 71 Pontos

 

9º - BLADE RUNNER / DIR: RIDLEY SCOTT (ANO: 1982) - 57 Pontos

 

10º - DE VOLTA PARA O FUTURO 2 / DIR: ROBERT ZEMECKIS (ANO: 1989) - 54 PONTOS

 

 

 

publicado por cinemap às 10:48

 

Os Melhores da Década de 90

 

1º - Pulp Fiction / Dir: Quentin Tarantino (ano: 1994) - 191 Pontos

 

2º - A Lista de Schindler  / Dir: Steven Spielberg (ano: 1993) - 116 Pontos

 

3º - Magnólia / Dir: Paul Thomas Anderson (ano: 1999) - 104 Pontos

 

4º - Beleza Americana / Dir: Sam Mendes (ano: 1999) - 82 Pontos

 

5º - De Olhos Bem Fechados / Dir: Stanley Kubrick (ano: 1999) - 80 Pontos

 

6º - O Rei Leão / Dir: Roger Allers e Rob Minkoff (ano: 1994) - 68 Pontos

 

7º - Cães de Aluguel / Dir: Quentin Tarantino (ano: 1992) - 67 Pontos

 

8º - Matrix / Dir: Andy e Larry Wachowski (ano: 1999) - 61 Pontos

 

9º - Clube da Luta / Dir: David Fincher (ano: 1999) - 61 Pontos

 

10º - Forrest Gump / Dir: Robert Zemeckis (ano: 1994) 60 Pontos

 

 

 

 

publicado por cinemap às 10:47

 

 Os Melhores da Década  de  00 - Fórum CeC

 

1º - Cidade dos Sonhos / Dir: David Lynch (ano: 2001) - 142 Pontos

 

2º - Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças / Dir: Michael Gondry (ano: 2004) - 106 Pontos

 

3º - O Senhor dos Anéis / Dir: Peter Jackson (ano: 2001, 2002 e 2003) - 103 Pontos

 

4º -  Kill Bill / Dir: Quentin Tarantino (ano: 2003 e 2004) - 89 Pontos

 

5º - Dogville / Dir: Lars Von Trier (ano: 2003) - 88 Pontos

 

6º - Antes do Pôr do Sol / Dir: Richard Linklater (2004) - 78 Pontos

 

7º - Closer / Dir: Mike Nichols (ano: 2004) - 68 Pontos

 

8º - Donnie Darko / Dir: Richard Kelly (ano: 2001) 67 Pontos

 

9º - Moulin Rouge / Baz Luhrmann (ano: 2001) 58 Pontos

 

10º - Amnésia / Christopher Nolan (ano: 2001) - 56 Pontos

 

 

 

publicado por cinemap às 10:45

04
Nov 08

...

publicado por cinemap às 17:09

        O advento do som, nos Estados Unidos, revoluciona a produção cinematográfica mundial. Os anos 30 consolidam os grandes estúdios e consagram astros e estrelas em Hollywood. Os géneros se multiplicam e o musical ganha destaque. A partir de 1945, com o fim da 2a Guerra, há um renascimento das produções nacionais – os chamados cinemas novos.

        A adesão de quase todas as produtoras ao novo sistema abala convicções, causa a inadaptação de actores, roteiristas e directores e reformula os fundamentos da linguagem cinematográfica. Directores como Charles Chaplin e René Clair estão entre os que resistem à novidade, mas acabam aderindo. “Alvorada do amor”, de Ernst Lubitsch, “O anjo azul”, de Joseph Von Sternberg, e “M, o vampiro” de Dusseldorf, de Fritz Lang, são alguns dos primeiros grandes títulos.

publicado por cinemap às 17:04

        O cinema ainda não era bem cinema – era ainda cinematógrafo dos Lumieré ou o quinetoscópio de Edison – mas já encantava tudo e todos. Durante quase trinta anos o cinema tornou-se na maior indústria de massas, e, pasme-se, numa das maiores artes do novo século. E fê-lo sem o recorrer ao som. Não que os filmes fossem, qual uma igreja em estado de oração interior, apologistas do silêncio. As exibições em teatros, óperas ou feiras dos primeiros filmes eram acompanhadas invariavelmente de música de fundo, habitualmente da autoria de um pianista que aplicava a sua própria visão das cenas do filme às teclas do piano. Logo, ver um filme em salas diferentes implicaria sempre ouvir um acompanhamento sonoro diferente. Ao longo do tempo os próprios sons do piano foram-se padronizando, (todos sabiam que ao ouvir determinado acorde estavam perante o vilão) atirando para o chão a teoria de que o mudo era silêncio. Não o era nem nunca o foi. Como Alfred
publicado por cinemap às 17:03

Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


subscrever feeds
arquivos
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO